«

»

maio 01

UTI Neonatal completa oito anos nesta segunda-feira

 

XXA Unidade de Terapia Intensiva Neonatal completará oito anos de funcionamento na próxima segunda-feira, 1º de maio. Inaugurada em 2009, a unidade é hoje referência no Estado, atendendo não apenas recém-nascidos da região, mas também de outras cidades gaúchas. A unidade conta com 10 leitos. O responsável técnico pela UTI Neontal é o médico pediatra Guilherme Dutra Pinheiro. E a enfemeira Aline Rebelato é a gestora da unidade. A unidade entrou em funcionamento durante a gestão do provedor Luiz Vilmar Denardin.

O serviço é regulado pela Central de Leitos do Rio Grande do Sul. São atendidos na UTI Neonatal recém-nascidos em condições delicadas de saúde, incluindo prematuros extremos com peso inferior a um 1,5 quilos, ou de 0 a 28 dias de vida.

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

A UTI Neonatal conta com uma equipe multidisciplinar, formada por 37 profissionais. Atuam na unidade médicos pediatras, médicos neonatologistas, enfermeiros, enfermeiros especialistas em UTI, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicóloga, nutricionista, fonoaudióloga e oftalmologista.

TESTES REALIZADOS

Na UTI Neonatal são realizados testes como o do pezinho, orelhinha e do olhinho que buscam verificar as condições de saúde do bebê.

TECNOLOGIAS LEVES

Com equipamentos de alta tecnologia, a UTI Neonatal oferece tecnologias leves para o desenvolvimento do bebê como o método canguru, o banho de ofurô, a rede, a musicoterapia, a diminuição de luminosidade, o polvo e a naninha. Essas terapias especiais foram implantadas pela enfermeira gestora, Aline Rebelato.

POLVOXXX

O polvo em crochê é uma das novidades dentre as tecnologias leves adotadas na UTI Neonatal. Os brinquedos, quando abraçados, transmitem calma e proteção ao recém-nascido, já que os tentáculos simulam o cordão umbilical, proporcionando a sensação de segurança vivenciada no útero materno.

 

 

NANINHAXXXX

A naninha é outra novidade disponibilizada na UTI Neonatal. O boneco confeccionado em tecido de algodão proporciona  proteção ao recém-nascido. A naninha vivencia um abraço, promovendo uma sensação de conforto ao pequeno.

 

 

 

 

 

 

MÉTODO CANGURU

O método canguru é outra tecnologia leve utilizada no cuidado dos recém-nascidos prematuros. Ele permite o contato “pele a pele” entre o bebê e a mãe/pai que auxilia na recuperação. O método é assim chamado pela semelhança com o canguru que carrega o filhote em sua bolsa.

XBANHO OFURÔ

Outro serviço da UTI Neonatal é banho ofurô que recria a vivência do bebê no útero. O pequeno é colocado lentamente na água, dentro de um ambiente adequado chamado balde, próprio para o ofurô, com a temperatura entre 36ºC a 38ºC. O bebê tem contato direto com a água que acaba proporcionando sensação de relaxamento e prazer.

REDEXXXXX

A UTI Neonatal adotou redes dentro das incubadoras que contribuem para a melhoria do cuidado aos recém-nascidos. As redes são confeccionadas em tecido de algodão macio que proporciona conforto e remete ao aconchego do útero materno.

MUSICOTERAPIA

A musicoterapia ajuda no desenvolvimento dos bebês prematuros, internados na UTI Neonatal. Essa atividade proporciona sensação de relaxamento aos pequenos pacientes. São utilizadas melodias de ninar, músicas clássicas e sons da natureza.

DIMINUIÇÃO DA LUMINOSIDADE

A iluminação é reduzida, tornando o ambiente hospitalar mais tranquilo. Esse método diminui estímulos estressores para o recém-nascido.

BANCO DE LEITE

Desde agosto de 2015, a UTI Neonatal conta com o apoio do Banco de Leite Humano (BLH) que fornece leite materno para crianças internadas na unidade. O leite cru é utilizado somente de mãe para filho. O Banco de Leite realiza a pasteurização do leite materno, possibilitando que o leite possa ser oferecido de uma mãe para outra criança necessitada. Para isso, o leite passa por vários processos de seleção e um rigoroso controle de qualidade. O Banco de Leite Humano e neonatologia atuam de forma integrada no tratamento dos bebês prematuros, garantindo um leite rico em nutrientes, importante para fortalecer a imunidade, o desenvolvimento, o ganho de peso e a recuperação do bebê.

A tão almejada alta do bebê para casa ocorre quando o pequeno não apresenta risco de vida, tem mais de dois quilos e quando estiver sugando bem o seio materno ou mamadeira na impossibilidade da amamentação exclusiva ao seio, o que é fundamental para a sua alimentação em casa.